quinta-feira, 29 de março de 2012



Método DeRose no Shopping Mueller
 
O Método DeRose Joinville vai promover o evento “Luxo é ter tempo para cuidar de si” na Praça de Eventos do Shopping Mueller, de 27 a 29 de março. Serão três dias de workshops, aulas práticas abertas ao público, exposição de fotos e demonstrações artísticas do Método DeRose, além de muita informação. 
 
Para participar dos workshops gratuitos é preciso fazer a inscrição antecipadamente pelo telefone (47) 3422-5309 ou no local do evento. 
 
Durante as aulas práticas, que acontecem nos três dias após os workshops, os participantes vão conhecer mais sobre a utilização de ferramentas de reeducação respiratória, administração do stress, técnicas orgânicas que melhoram o tônus muscular e a flexibilidade, descontração emocional, concentração mental. 
 
Os visitantes poderão conferir também demonstrações artísticas de coreografias com profissionais do Método DeRose. 
 
 
Cronograma
 
Dia 27/3/2011 – às 19h
Coreografia - Demonstração artística da Instrutora Juliane Dias
- Workshop: Alta perfomance no trabalho, nos estudos e nos esportes - com Gustavo Marson.
- Aula prática do Método DeRose aberta ao público
 
Dia 28/3/2011 – às 19h
- Workshop: Respiração para Alta Performance no trabalho, nos estudos e nos esportes - com Helton Santana.
- Aula do Método DeRose aberta ao público
 
Dia 29/3/2011 – às 19h
- Coreografia - Demonstração artística da Instrutora Juliane Dias
- Workshop: Concentração para Alta Performance no trabalho, nos estudos e nos esportes - com Fábio Santana.
- Aula do Método DeRose aberta ao público
 
 
  
www.MetodoDeRoseJoinville.com.br
R. Expedicionário Holz, 149 - Tel.: 3422-5309

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011


 Rafael Ramos, empreendedor do DeRose Method


Método de Alta Performance 

Para se obter alta performance é preciso mais do que imaginamos, isso é válido tanto para os esportes, os estudos, as artes quanto na sua atividade profissional. Treinar, estudar ou trabalhar muito, às vezes não é suficiente quando os níveis de informação, conhecimento e desenvolvimento técnico já estejam em alto nível competitivo. Ter controle emocional, concentração mental, aprimorar a intuição, trabalhar o corpo de uma forma saudável e consciente, além de polir as relações humanas e ter uma visão mais ampla da interligação que temos com as pessoas e com o meio em que vivemos, podem fazer toda a diferença. 

Associar a realização dos seus objetivos com o desenvolvimento pessoal é o que chamamos de alta performance. Mas de que forma propomos este desenvolvimento? 

Através da percepção e do aprimoramento dos planos físico, emocional, mental e intuicional. Temos que nos conscientizar de que trabalhar apenas o corpo físico e deixar o mental de lado não é lá uma boa alternativa. Da mesma forma que também não é muito saudável desenvolver apenas o raciocínio, a memória, a criatividade e deixar o seu corpo em segundo plano. Qualquer um que seja deixado de lado, pode comprometer seu desempenho. 

Vamos analisar um pouco melhor: 

Físico: dos quatro planos aqui citados, o físico é o mais denso, e é também a base para um bom desenvolvimento dos demais. Para trabalhar esta área, o Método DeRose desenvolve tônus muscular, flexibilidade articular, alongamento muscular, consciência corporal e maior irrigação cerebral. Conseqüentemente desenvolve auto-estima, determinação e perseverança. 

Emocional: o emocional é mais sutil que o físico. Por isso, para que ele possa ser vivenciado, devemos aquietar o físico, para que este não o eclipse. Devemos sempre que possível, trocar sentimentos que emocionalmente nos desgastam por sentimentos mais leves. Com uma boa base emocional você terá maior probabilidade de sucesso pois desenvolverá a habilidade de lidar melhor com as outras pessoas. Este plano é mais desenvolvido no nosso Método através de técnicas respiratórias (que desenvolvem também a capacidade pulmonar e fornecem uma cota extra de energia vital), de descontração emocional (que ajudam a reduzir o stress) e de técnicas de mentalização (que auxiliam na conquista dos objetivos). 

Mental: não conseguimos utilizar este canal em sua totalidade quando o emocional, que é mais denso, está em evidência. Já percebeu que, quando você está emocionalmente abalado, não consegue raciocinar direito? Por isso acontecem brigas no trânsito ou entre casais, neste momento o emocional geralmente fala mais alto que o mental. Conquistando uma boa estabilidade emocional, podemos aprimorar a concentração mental que vai resultar em um bom raciocínio, memória e criatividade. No Método DeRose o desenvolvimento deste plano é obtido com técnicas específicas que trabalham foco, como por exemplo, mantendo a atenção direcionada em uma só imagem mental por um tempo determinado. Com o treinamento, o foco e a concentração mental serão utilizados para o alcance dos seus objetivos. 

Intuicional: Assim como num dia de sol, ao olhar para o céu não conseguimos enxergar as estrelas, pois estão eclipsadas pelo brilho mais denso do sol, também o plano físico eclipsa o emocional e este eclipsa o mental. Da mesma forma, o intuicional que é uma ferramenta mais sutil, é eclipsado pelo mental. Por isso temos pouco acesso a ele, pois nossa mente não para em nenhum momento e não deixamos espaço para que este canal possa fluir. O desenvolvimento desta área é o diferencial de muitos atletas e profissionais de alta performance. No Método DeRose, treinamos o acesso ao intuicional através do aprofundamento das técnicas de meditação. 

Albert Einstein ilustrou isso quando disse: “Penso 99 vezes e nada descubro. Deixo de pensar, mergulho no silêncio, e a verdade me é revelada” 

Linus Pauling, ganhador do Prêmio Nobel de Química em 1954 e Prêmio Nobel da Paz em 1962, afirmou: “É claro que nós cientistas usamos a intuição. Conhecemos a resposta antes de checá-la”. 

Não é apenas na ciência que o intuicional é utilizado. No mundo empresarial ele ajuda na tomada de decisões, atletas de ponta conquistam resultados cada vez mais extraordinários, estudantes obtêm melhores resultados com menos tempo de estudo e artistas têm sua capacidade de criação potencializada. 

Acredito que o aprimoramento pessoal visto desta forma mais ampla contribua efetivamente para a melhoria no desempenho profissional, esportivo, artístico ou nos estudos. Com certeza será um grande diferencial num momento em que informação, conhecimento e o desenvolvimento técnico nessas áreas já estejam em alto nível. 

Caso tenha se identificado com esta proposta de desenvolvimento pessoal, deixo o convite para que conheça minha escola, representante do Método DeRose em Joinville. Estamos localizados à Rua Expedicionário Holz, 149, telefone: (47)3422-5309. 

Conheça também o nosso site: www.MetodoDeRoseJoinville.com.br. Aguardo a sua visita!


Gustavo Marson 
Professor do Método DeRose desde 1990.
Presidente da Federação do Método DeRose em Santa Catarina.
Diretor Geral da escola do Método DeRose em Joinville. 
Autor do livro SwáSthya em Dupla. 
Ministra seus cursos desde 2001 em todo o Brasil, 
Argentina, Portugal, Espanha, França e Itália. 

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Respirar




Gustavo Marson, professor do Método DeRose, nos mostra a importância da respiração em nossas vidas e nos ensina uma técnica respiratória para colocarmos isso em prática de imediato. 

Respirar é uma de nossas funções fisiológicas mais importantes. A primeira coisa que fizemos ao nascer foi uma inspiração e a última coisa que vamos fazer nesta vida é uma expiração. Conseguimos subsistir durante vários dias sem comer, alguns dias sem beber, mas não conseguimos ficar nem por alguns minutos sem respirar. A respiração alimenta todas as nossas células, tecidos e órgãos e por isso interfere em todas as funções orgânicas. 

Respirar é viver, respirar bem implica viver melhor. Acontece que para a maioria das pessoas a respiração é involuntária, superficial e insuficiente, utiliza-se apenas uma ínfima parte da capacidade pulmonar. É uma forma bastante precária de respirar e viver, se considerarmos o potencial que temos para nos desenvolver.

Apesar de não nos darmos conta, a respiração está intimamente associada às nossas emoções e padrões de comportamento. Você já percebeu que quando estamos ansiosos ou somos submetidos a uma situação limite ela fica superficial e rápida e quando estamos mais descontraídos ou até mesmo fazendo um esforço para nos concentrar ela diminui o seu ritmo naturalmente? A razão disso é que existe uma relação muito estreita entre ritmos respiratórios e estados de consciência. 

Com o treinamento das técnicas respiratórias damos à respiração uma profundidade e um ritmo específico de acordo com o resultado desejado. Aprendendo a trabalhar o ritmo respiratório, conseguiremos sutilizar as emoções, o que irá interferir positivamente nas relações afetivas, no desempenho profissional, nos estudos e nos esportes.

Essas técnicas são excelentes aliadas a esportes como mergulho, surf, natação, escalada, artes marciais, atletismo e outros, por ampliar incrivelmente a capacidade pulmonar e a resistência orgânica, por aprimorar a concentração e o raciocínio e por controlar as emoções. Detalhes que fazem a diferença nas competições e também para os atletas ocasionais.

Respiramos de 12 a 15 vezes por minuto e a cada respiração absorvemos cerca de 0,5 litros de ar. Porém nossa capacidade pulmonar é de cerca de 4 litros, podendo chegar a 6 ou 7 litros com um bom treinamento. No Método DeRose utilizamos mais de 50 técnicas respiratórias onde aprendemos a usufruir na totalidade essa capacidade pulmonar.

Para que você possa treinar de imediato, passarei abaixo uma técnica simples que serve como base para praticamente todas as nossas demais técnicas respiratórias.

Treinamento da respiração completa:

Para conquistar a respiração completa precisamos treinar as três partes da respiração completa separadamente, ou seja, primeiro a parte baixa (abdominal), depois a média (intercostal) e por último a alta (torácica).

Deite-se numa posição confortável com as costas no solo e com as pernas flexionadas ou estendidas. Inicialmente leve a consciência para a sua respiração tornando-a nasal, silenciosa, lenta e profunda. 

1ª parte: respiração baixa

Apóie as duas mãos sobre o abdome.

Ao inspirar, projete o abdome. Ao expirar, recolha o abdome.

A regra é: ar para dentro, abdome para fora. Ar para fora, abdome para dentro.

Mantenha as costelas e a parte alta do tórax imóveis e mova apenas o abdome. Nessa primeira parte estamos isolando a parte baixa dos pulmões. Esta respiração corresponde a cerca de 60% da nossa capacidade pulmonar.

2ª parte: respiração média

Apóie as mãos um pouco mais acima, na região das costelas de forma que as pontas dos dedos se toquem no centro do tórax.

Ao inspirar, projete as costelas para os lados expandindo o tórax. Ao expirar, as costelas voltam para o ponto inicial. Quando inspirar e dilatar as costelas, as pontas dos dedos se separam. Ao expirar, os dedos voltam a se tocar no centro do tórax. Nessa parte o abdome não se move mais. O ar não chega mais na parte baixa dos pulmões. Apenas a região média é utilizada. Essa região intercostal é responsável por cerca de 30% da nossa capacidade pulmonar.

3ª parte: respiração alta

Apóie as mãos no alto do tórax perto do pescoço.

Ao inspirar, a parte alta do tórax se eleva e ao expirar a parte alta do tórax é esvaziada. O abdômen não se movimenta e a região das costelas também não. Agora queremos isolar a parte alta dos pulmões. A respiração alta é responsável por apenas 10% da capacidade pulmonar e é assim que a maior parte das pessoas que não tem acesso a essas técnicas respira.

Após dominar as três partes da respiração, vamos coordená-las para realizar a respiração completa. Você deve inspirar preenchendo primeiro a parte baixa, depois a média e por último a alta dos seus pulmões. E deve expirar de modo inverso, soltando primeiro o ar da parte alta, depois da média e por último da parte baixa dos pulmões.

A prática deve lhe proporcionar bem-estar. Procure extrair prazer pelo simples ato de respirar. 

Ao conquistar a técnica ensinada, você utilizará 100% da sua capacidade pulmonar. Utilize esta respiração completa ou apenas a respiração abdominal no seu dia-a-dia e perceba a diferença.

Para saber mais entre em contato conosco:

Método DeRose Joinville
R. Expedicionário Holz, 149
Tel.: (47) 3422-5309



quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Valle Nevado



Valle Nevado - Mapa das pistas
Altura da base:2.860m (Base Prado)
Altura do cume: 3.670m (Três Puntas)
Desnível esquiável: 810m
40 km de pista pisada e muitos fora de pista


Um caminho estreito e sinuoso nos leva às 3 estações de esqui na região central do Chile. São 60 km e 60 curvas daquelas estilo "cotovelo" que separam Santiago e Valle Nevado.

Valle me surpreendeu pela qualidade da neve e variedade de pistas: pisadas, não-pisadas, com bumps e muitos fora de pista. Apesar de ser a mais movimentada entre as três estações vizinhas, principalmente entre os brasileiros, encontrei Valle com poucos esquiadores durante a semana. 

Contém boa sinalização e lifts melhores que El Colorado, porém lentos como praticamente todos os encontrados nos centros de esqui da América do Sul.

Destaque para a pista vermelha Sol por ser muito longa e com uma boa inclinação. Alguns snowboarders não gostam muito por ser inclinada lateralmente, mas para os esquiadores com alguma experiência é diversão garantida. O início dela é na parte alta do lift Andes Express (3.485m), lá deve-se pegar a pista preta Momia a direita e logo depois, um caminho a direita novamente até a base Prado (2.860m). O vídeo abaixo mostra um pouco desta pista. Ela também é utilizada para fazer conexão com El Colorado. Mas fique atento pois a conexão fica um pouco escondida. 

Valle Nevado é a estação com mais fama entre as três vizinhas, mas sugiro conhecer os três centros de esqui pela proximidade e diferenças entre eles. Cada um com seus pontos positivos e negativos.
Informações no site: www.valenevado.com

domingo, 2 de outubro de 2011

Esqui em El Colorado / Farellones

Ladera Oeste
Ladera Sur Este

El Colorado - Mapa das pistas
Altura da base:2380m
Altura do cume: 3333m
Desnível esquiável: 953m
80 pistas e caminhos

El Colorado é o centro de esqui mais próximo de Santiago, localizado a pouco mais de 30km da capital do Chile. Em agosto de 2011 estive com o amigo Vilson Ferreira nesta estação e também em Valle Nevado (11km) e La Parva (5km). Deixo aqui a minha impressão:

El Colorado tem um formato cônico, por isso uma boa parte das pistas são semelhantes. É uma estação  boa para iniciantes por conter muitas pistas verdes. Mas também agrada aos esquiadores intermediários e avançados, principalmente na Ladera Sur Este e no snowpark.

Os ascensores deixam a desejar, faltando modernizá-los, são 4 chairlifts e 23 meios de arraste ou T (também conhecidos como saca-rabos em Portugal). Um T que impressiona por ser muito íngreme é o Cono Este na Ladera Sur Este, nada indicado para iniciantes ou pessoas que tenham medo de altura.  
A sinalização das pistas também é um ponto fraco, sem um mapa nas mãos não se sabe se a pista é verde, azul, vermelha ou preta o que pode surpreender algum iniciante desavisado. 

Os valores, nas 3 estações vizinhas, são bem mais altos comparados a estações da Argentina e, pasmem, mais altos que os valores de ski pass e hotel comparados a alguns excelentes centros de esqui nos Alpes!

Mas a proximidade com o Brasil (basta um voo), os constantes dias de sol, as estações praticamente vazias durante a semana e a ótima qualidade de neve garantem a diversão dos apaixonados pela neve. 

É uma estação que possui conexão com La Parva e Valle Nevado. Caso esteja hospedado em El Colorado e não queira pagar o valor abusivo do passe interconectado, a solução é descer esquiando de El Colorado até a vila de Farellones e, lá, combinar o transporte com uma van para o Valle ou La Parva. A volta pode ser feita com o esqui no pé. Voltando de La Parva, é só ir até o restaurante Olimpo e, de lá, pegar um caminho mal sinalizado a direita. Para retornar do Valle Nevado, no entanto, é necessário pegar o meio de arraste La Copa ou Cono Este, como eles já fazem parte de El Colorado, vai depender da pessoa que estiver no controle de acesso a estes lifts deixá-lo subir ou não. Nada que a simpatia e boa educação não resolva.  Depois é só descer até a base, como fizemos até a nossa cabana ski in / ski out.

Informações sobre as estações e ótimas câmeras de El Colorado e Farellones no site: www.elcolorado.cl

Gustavo Marson esquiando em El Colorado e Farellones
Filmado por Vilson Ferreira

segunda-feira, 27 de junho de 2011

DeRose em Joinville

Em setembro de 2011 teremos o prazer de receber em nossa escola o Educador DeRose, sistematizador do Nosso Método. No sábado, dia 10, haverá um curso voltado aos instrutores e alunos a partir do grau de sádhaka. Domingo, dia 11, o curso será reservado aos instrutores do Método DeRose.

DeRose é Doutor Honoris Causa, Comendador e Notório Saber por várias entidades culturais e humanitárias, Conselheiro da Ordem dos Parlamentares do Brasil, Conselheiro da Academia Brasileira de Arte, Cultura e História, e Conselheiro da Academia Latino-Americana de Arte. Tem quase 50 anos na profissão de educador e 24 anos de viagens à Índia, freqüentando durante essas estadas no país inúmeras escolas, mosteiros e outras entidades culturais, nas quais buscou aprimorar seu conhecimento da Filosofia Hindu.

Leia ou releia sua autobiografia Quando é Preciso Ser Forte e conheça um pouco mais da história deste grande homem. Visite também o site: www.uni-yoga.org/derose/sobre/